A ansiedade vem sendo considerada a vilã dos tempos e não é a toa.

As pessoas estão em um nível maior de preocupação e os motivos são muitos, como: violência, desemprego, financeiro, epidemias e relacionamentos de forma geral.

A palavra preocupação faz parte constante dos diálogos internos das pessoas.

Os pensamentos geram sentimentos e quando estamos com os pensamentos focados nessas pré-ocupações, criamos imagens, sons e sensações dessas situações projetadas no futuro e a nossa mente e o nosso corpo reage de forma desproporcional e desconfortável, ficamos em um estado de alerta causando assim, desequilíbrio em nosso organismo.

Quando utilizamos a palavra preocupado(a), por exemplo, a nossa memória sabe o que é se sentir assim, por isso traz sensações no corpo. Sugiro você trocar a palavra preocupação, por atenção, prevenção, planejamento. Isso faz total diferença. Exemplo: “Eu estou atento(a) a fazer as atividades hoje para poder entregar no prazo”; “Eu vou marcar médicos por prevenção”; “Vou planejar a minha vida financeira para obter uma excelente aposentadoria”. Ou seja, são pensamentos projetados para o futuro que nos fazem ter ações hoje para benefícios lá na frente. São focados naquilo que queremos que aconteça. O que faz com que sintamos sensações agradáveis em nosso corpo.

Acho importante ressaltar que a ansiedade não é vilã, ela faz parte do nosso organismo, do nosso instinto de defesa. Tem um lugar especial em nosso cérebro, no sistema límbico que é onde sentimos emoções. Quando estamos ansiosos, as áreas do cérebro estimuladas são as que analisam o mundo à volta a procura de ameaças, registram perigo, armazenam novos riscos para o futuro. São elas: amígdala, a substância cinzenta periaquidutal e o septo-hipocampal.

Ou seja, não há como eliminar a ansiedade, Ela faz parte de nós. O ideal é ressignificar os sentimentos causados pelos pensamentos catastróficos, raciocinar e perceber que muitas vezes, sentimos sensações desagradáveis no físico por que estamos com os pensamentos no futuro e pouco no momento presente que é onde tudo acontece, é o real e o que mais importa.

Focar a sua atenção plenamente no momento presente é o ideal para equilibrarmos o nível de ansiedade.

Cuide de suas palavras para que seu diálogo interno seja assertivo, focado no que você quer que aconteça e viva o hoje!

Abraços

Fernanda Mion
Psicóloga CRP 06/71074

Formação em Psicoterapia Breve, Hipnose e Programação Neurolinguistica – PNL. Pós graduanda em Neurociência do Comportamento pela UNIFESP.

Categorias: Blog