Assumir a homossexualidade pode ser um dilema.  

Desde que nascemos sofremos a imposição de nos encaixar em padrões para sermos aceitos. 

Vivemos em uma sociedade que divide as pessoas entre “ser homem e ser mulher”. Ainda observamos que as expressões de identidade pessoal e relacionamentos passam pelo crivo religioso e também de outros grupos sociais, onde qualquer manifestação que se oponha é condenada e, em muitos casos, conduzida com intolerância e violência. 

Vemos que o mundo cada vez mais dividido em dois lados: o padrão, que é o ”lado certo” e o “lado errado”, ao qual se destinam todos os que não conseguiram atender aos padrões.

Assim, a falta de liberdade em ser diferente provoca conflitos internos de como pertencer a esse mundo, pois não há identificação com o outro. 

Repensar a sexualidade gera desconforto. É comum sentir-se desajustado, frágil e é natural querer negar ou esconder, pois aprendemos que ser homossexual é errado e assim inicia-se uma etapa intensa e de grande esforço para desconstrução dos valores que aprendemos durante toda a vida.

Finalmente, quando a pessoa consegue se desprender desse modelo e começa a aceitar a si mesma e se reconhecer como homossexual, aquilo que estava oculto expande e se esclarece, é como sair da escuridão. Primeiro, ocorre uma aceitação interna que depois é compartilhada com as pessoas.

Em muitos casos esse processo é solitário e todo silêncio guardado forma um turbilhão de emoções internas e em algum momento isso vem à tona. É necessário compreender esse momento como um grito de liberdade, onde abre-se a possibilidade de futuro, trazendo a responsabilidade e a satisfação de poder ser quem é.

Para diminuir a tensão em torno do tema, cabe aos pais, professores, familiares e amigos trabalhar a empatia e proporcionar um ambiente acolhedor, afetuoso e aberto.

E para lidar com os conflitos relacionados à homossexualidade, você pode contar com os profissionais da Harmonie. Basta entrar em contato conosco e agendar a sua sessão inicial.

Nosso Whatsapp: http://bit.ly/VemPraHarmonie

Texto de Bruno Matos – Psicólogo – CRP 06/149068

Categorias: Blog